INJUSTIÇA DENTRO DO XADREZ NO PARÁ – EM BUSCA DA LUZ!!!

Boa noite senhores, durante o Evento XVI OPEN DE XADREZ DO CCFC, Válido para rating FIDE e CBX, logo cabendo as regras e regulamentos aos quais os organizadores estão submetidos. PRIMEIRO FATO: o organizador é particular e apenas tem evento Chancelado pela FEDERAÇÃO, onde esse evento pertence a Federação e não apenas ao seu Diretor, que também é o mesmo organizador. 

imagem1

SEGUNDO FATO: O torneio começou com arbitragem irregular, com apenas um dos árbitros, o outro não estava presente e chegou perto das 12h, que também é Diretor da Federação. E o que também fica bem claro que o Árbitro Principal também é o Organizador.

imagem2

PERGUNTA: É justo o Árbitro Principal se o Organizador do próprio evento? a Lei permite, nós sabemos que não, pois o organizador, num possível conselho de Conselho de Apelação, irá se próprio julgar? Não é essa a orientação dirimida pela Confederação Brasileira de Xadrez, pede-se providências.

TERCEIRO FATO: Ao olharmos a lista inicial do evento, notamos uma outra irregularidade, e que se pede-se atenção, pois ela interfere diretamente em torneio no sistema suíço, pois o emparceiramento é diretamente infringido, como mostrado na figura abaixo (http://chess-results.com/tnr203766.aspx?lan=10):

imagem3

PERGUNTA: O ranking inicial não deveria ser listado por ordem de força pelo rating FIDE e depois CBX? não fora feito assim, e com isso o emparceiramento da 1ª rodada e das seguintes está completamente irregular. Pede-se providências para a Confederação Brasileira de Xadrez, pois ela recomenda total atenção a esse quesito, pois pode está sendo promovido favorecimento desleal a outros jogadores. E porque o Árbitro e também Diretor Técnico da Federação não estava presente, talvez pela sua omissão, isso não tivesse ocorrido.

QUARTO FATO: No emparceiramento da 1ª Rodada, o Enxadrista Carlos Alfredo dos Santos Lopes, por motivos pessoais não sentou na mesa 6 contra seu adversário o também enxadrista Malcolm Robinson, onde o Sr. Carlos Alfredo se manteve em silêncio e se reservou ao lado contrário da sala, não se dispondo com seu colega de tabuleiro e nem com a arbitragem, e foi anotado o W.O. (+ – -) como mostra a imagem abaixo:

imagem4

O Torneio se prosseguiu, foi emparceirado a segunda rodada, depois intervalo para o almoço, quando todos os presentes notaram a presença do segundo árbitro e também Diretor da FEXPA no recinto, até tudo bem, e foi emparceirado a terceira, após a lida dos resultados da segunda rodada, e o segundo árbitro emparceirou, enquanto o primeiro árbitro principal e também organizador, estava no salão arrumando as peças e relógios. E quando menos se esperava, aconteceu o segundo emparceiramento entre o Carlos Alfredo dos Santos Lopes, na mesa 6 (coincidência) contra seu adversário o também enxadrista Malcolm Robinson, e que com certeza iria acontecer a mesma situação da primeira rodada, mas houve uma indisposição bem clara entre o segundo árbitro e Diretor da FEXPA e o Sr. Carlos Alfredo, trocando farpas em alto e bom tom, onde Carlos estava somente levantando a sua voz, pois o referido árbitro estava no microfone, e onde logo após o Sr. Carlos Alfredo se retirou ao Salão, e a rodada foi até o seu fim.

imagem5

Mas como pode ser observado, não fora colocado o resultado apropriado, que também seria apropriado o W.O. (+ – -), e esse sim seria o motivo mais justo de sua retirada do evento, mas na verdade aconteceu outra coisa, ao entrar na sala e já com o emparceiramento feito da Rodada 4, que não estaria mais tido sua presença no local como “bem-vinda” e que onde fora configurado o desacato ao Segundo Árbitro e também Diretor da FEXPA, Carlos Alfredo o retrucou pois ele não estaria na posição de fazê-lo, mas foi informado (e com certo ar sarcástico) o Segundo Árbitro voltou a informar que o Árbitro Principal, Organizador e Diretor da FEXPA, confirmava a punição sofrida pelo Carlos Alfredo, e o Carlos se dirigiu ao Árbitro Principal e o perguntou de maneira educada, e o mesmo pediu “por favor” pela sua saída do evento, o Sr. Carlos Alfredo, pediu desculpa a todos pelo fato ocorrido, e que onde as pessoas ali envolvidas,estavam tomando essas atitudes por ato puramente politico e agindo de forma pessoal, e se retirou do ambiente.

PERGUNTAS: Agiu com regularidade o Segundo Árbitro? pois há uma regra, de que quando um torneio começa com Arbitragem Irregular, deve ir até o fim da mesma forma que começou. O Segundo Árbitro não deveria ter agido de forma de mediar conflitos e não de contribuir para que o mesmo venha a tomar caminhos contrários? Acredito que o regulamento de árbitros prever que a impessoalidade e maneira como dirimir conflitos seja uma das melhores habilidades para que não haja esse tipo de situação, o Árbitro Principal, agiu da maneira certa, contribuindo para que esse conflito tomasse proporções maiores, como a que está acontecendo. Pede-se providências para a Confederação Brasileira de Xadrez, através de seu VP Técnico Ai Antônio Bento e de seu Presidente Gm Darcy Lima, que certas coisas não ocorressem, é um torneio rápido, imaginem se isso ocorrer durante um Regional Norte e outros eventos que a FEXPA venha a realizar.

Diferentemente do que fora informado pelo Diretor Jurídico, cargo criado sem consulta pública ou democrática, relatou de forma voraz e sem sombra de dúvidas de que não apenas de tentar punir o Sr. Carlos Alfredo, no tange na sua reputação, onde não houve nenhuma atitude baixa ou de desmerecimento do Sr. Carlos Alfredo, o mesmo não ofendeu com palavras de baixo calão e nem ameaças a ninguém do recinto, e não pode ser levada essas considerações falsas que fizeram contra ele.

Pede-se a Confederação Brasileira de Xadrez, o afastamento imediato dos Árbitros por um determinado período, a ser mensurado pela própria CBX, se precisar eu AN Clauber Martins, não vejo nenhum problema em Arbitrar o Regional Norte, enquanto os Árbitros supracitados fazem uma reciclagem em regras e principalmente ética, a quais todos nós somos levados e ter em prática, pedimos também a apuração da verdade, sobre a falsa delação, onde nem mesmo o Presidente desta Federação o Sr. Alvancir Elves, deve concordar,  assim como a principal testemunha o Sr. Flávio Leão, não vai admitir que tais fatos falsos, foram feitos pelo Sr. Carlos Lopes, que sim levantou a voz, pois estava sendo provocado, mas que nenhum momento perdeu o seu senso moral, pois sabia muito bem onde estava e acredito que jamais perderia sua pose mesmo em situações extremas de pressão. 

A verdade e a democracia, pontos levantados de forma extensa e voraz, pela atual Diretoria da FEXPA, foram seus carros chefes da campanha que fizeram para assim, ter o comando da Federação e sim que se faça por onde esses pontos que tanto lutaram, não fiquem apenas pelos motivos que acharem convenientes, mas sim por todo o histórico que o xadrez paraense possui.

Atenciosamente, 

Na defesa do Sr. Carlos Alfredo dos Santos Lopes

CLAUBER MARTINS – ÁRBITRO NACIONAL (197) E TREINADOR REGIONAL (25) DA CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE XADREZ – ENXADRISTA FIDE (2106906) E CBX (25008)

3 comentários em “INJUSTIÇA DENTRO DO XADREZ NO PARÁ – EM BUSCA DA LUZ!!!

  1. PERGUNTA: É justo o Árbitro Principal se o Organizador do próprio evento? a Lei permite, nós sabemos que não, pois o organizador, num possível conselho de Conselho de Apelação, irá se próprio julgar? Não é essa a orientação dirimida pela Confederação Brasileira de Xadrez, pede-se providências. Pelas regras em vigor quem esta no comitê de apelação e o Diretor não o organizador, a CBX so proíbe o organizador jogar arbitrar é permitido.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s